Fábricas clandestinas de álcool gel são fechadas no Litoral Sul do Espírito Santo - Seridó 360

Post Top Ad

test banner

domingo, 22 de março de 2020

Fábricas clandestinas de álcool gel são fechadas no Litoral Sul do Espírito Santo


Duas fábricas clandestinas de álcool gel foram descobertas pelo Procon e pela Polícia Civil nos municípios de Vila Velha e Marataízes. Em Vila Velha, os funcionários do local chegaram a tentar esconder os produtos e ainda prenderam os fiscais dentro da fábrica.

Os flagrantes aconteceram nessa sexta-feira (20), segundo o G1.

Com o avanço da pandemia de Coronavírus, as vendas de álcool gel, usado para matar o vírus, dispararam. No entanto, os consumidores precisam ter cuidado com o preço e a qualidade do produto.

Depois de receber uma denúncia de venda de álcool em gel com preços abusivos em Cobilândia, Vila Velha, o Procon estadual descobriu que no local também funcionava uma fábrica clandestina do produto.

A fábrica de produtos químicos vendia vários materiais de limpeza sem nenhum tipo de licença. No entanto, funcionários da fábrica desapareceram com a mercadoria ilegal e deixaram os fiscais do órgão presos.

“Quando os fiscais entraram descobriram que havia efetivamente álcool gel clandestino. Porém, as pessoas responsáveis que estavam aqui dentro chutaram o álcool gel, levaram os álcools e deixaram nossos fiscais literalmente presos. Só conseguimos terminar nossa ação depois da chegada a Polícia Civil”, conta o presidente do Procon, Rogério Ataíde.

A fabricação de todos os outros produtos também era clandestina, a fábrica não tinha autorização para funcionar.

“A vigilância sanitária esteve aqui antes, interditou o local. Nós fizemos o boletim de ocorrência e verificamos que eles continuaram aqui trabalhando, vendendo os produtos de maneira normal”, diz Ataíde.

Caminhões tanque para transporte de produtos químicos também foram encontrados no local./ a operação contou com a presença da policia civil, corpo de bombeiros e vigilância sanitária.

O Procon recolheu as mercadorias. O dono da fábrica não quis falar com a reportagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

test banner