“Questão patrimonial”, diz delegado sobre tragédia na família Flor - Seridó 360

Post Top Ad

test banner

quarta-feira, 20 de maio de 2020

“Questão patrimonial”, diz delegado sobre tragédia na família Flor


As investigações iniciais acerca da tragédia na família Flor, uma das mais tradicionais do Rio Grande do Norte, apontam que a "questão patrimonial" foi o principal motivo para as discussões e consequentes mortes ocorridas nesta terça-feira (19).

No início da manhã desta terça (19), na fazenda da família localizada no município de São Pedro, o empresário Tasso Flor efetuou vários disparos contra o irmão, Túlio Flor, na frente de outros familiares – inclusive da mãe, uma idosa de 89 anos. Após o assassinato, Tasso se matou.

De acordo com o delegado Otacílio Medeiros, responsável pelas apurações, a fazenda Conceição, pertencente à família, seria arrendada, mas Tasso não concordava com a decisão. "Ele estava na fazenda exatamente para impedir a locação, de acordo com o que foi dito pelos familiares na hora. Mas, aparentemente, o crime não foi premeditado", relatou ao Agora RN.

As investigações devem seguir por cerca de 20 dias, segundo o delegado. "Mas tudo indica que foi a questão patrimonial".

A família Flor é uma das mais tradicionais de Natal e conhecida pela rede de postos de combustíveis Jota Flor.

Por Agora RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

test banner